• 19/01/2018

Clarice Lispector por Jorge Carrión

, Clarice Lispector por Jorge Carrión. IMS Clarice Lispector, 2018. Disponível em: https://site.claricelispector.ims.com.br/2018/01/19/clarice-lispector/. Acesso em: 01 março 2024.

O escritor e crítico literário espanhol Jorge Carrión publicou recentemente, no New York Times, um ensaio sobre a vida e a obra de Clarice Lispector (“La pasión según Clarice Lispector”). O autor parte da leitura de Por qué este mundo, a biografia de Clarice escrita por Benjamin Moser, recém-lançada em tradução espanhola pela editora Siruela, para abordar questões mais amplas relacionadas à obra clariceana:

Ela não gostava de entrevistas e a ficção, em seu caso, é muito mais importante, incisiva e eloquente do que a não ficção. Ao ler seus romances e contos, poderíamos concluir que é uma escritora hermética, próxima ao misticismo. Porém, creio que, pelo contrário, ela é uma artista absolutamente contemporânea, que resolveu em sua obra uma das grandes questões literárias da nossa época: como escrever com ambição abstrata paisagens mentais com palavras figurativas.

Ou seja, para Carrión, a obra de Clarice é “corporal, totalmente vital e sanguínea”, embora esteja coalhada de metáforas e mistérios. Essa característica, ainda segundo o crítico, aproximaria sua prosa da poesia. Por isso, talvez, ela escrevesse como se fosse para salvar a vida de alguém, talvez a dela própria, como disse em Um sopro de vida.

Leia o ensaio de Carrión, em espanhol, clicando aqui.

Notas

body { padding: 0 30px; } @font-face { font-family: 'Brick Display Pro'; font-style: normal; font-weight: 900; font-display: swap; src: url("https://site.claricelispector.ims.com.br/wp-content/themes/clarice-acervo/fonts/brick-display-black-pro.woff2") format("woff2"), url("fonts/brick-display-black-pro.woff") format("woff"); } @font-face { font-family: 'Brick Display Pro'; font-style: normal; font-weight: 500; font-display: swap; src: url("https://site.claricelispector.ims.com.br/wp-content/themes/clarice-acervo/fonts/brick-display-regular-pro.woff2") format("woff2"), url("fonts/brick-display-regular-pro.woff") format("woff"); } @font-face { font-family: 'Domaine'; font-style: normal; font-weight: 500; font-display: swap; src: url("https://site.claricelispector.ims.com.br/wp-content/themes/clarice-acervo/fonts/domaine-regular.woff2") format("woff2"), url("fonts/domaine-regular.woff") format("woff"); } @font-face { font-family: 'Domaine'; font-style: italic; font-weight: 500; font-display: swap; src: url("https://site.claricelispector.ims.com.br/wp-content/themes/clarice-acervo/fonts/domaine-regular-italic.woff2") format("woff2"), url("fonts/domaine-regular-italic.woff") format("woff"); } @font-face { font-family: 'Domaine'; font-style: normal; font-weight: 700; font-display: swap; src: url("https://site.claricelispector.ims.com.br/wp-content/themes/clarice-acervo/fonts/domaine-bold.woff2") format("woff2"), url("fonts/domaine-bold.woff") format("woff"); } @font-face { font-family: 'Domaine'; font-style: italic; font-weight: 700; font-display: swap; src: url("https://site.claricelispector.ims.com.br/wp-content/themes/clarice-acervo/fonts/domaine-bold-italic.woff2") format("woff2"), url("fonts/domaine-bold-italic.woff") format("woff"); } img { display:none !important; } p,h6 { font-size: 18px; color: #2B2B2B; font-family: "Domaine",serif; font-weight: 500; line-height: 1.5em; grid-column: 4/-4; } h1,h2,h3 { font-family: "Brick Display Pro",serif; font-weight: 500; line-height: 1.16em; font-size: 36px; } .abnt-print { font-size:18px; } i { text-transform:uppercase; font-style:normal }